Sociedade 3 Mai 2012, 21:33h
Desmantelada rede de tráfico de droga que operava a partir de Santarém

Imprimir ArtigoComentar ArtigoEnviar para um amigoAdicionar aos favoritos

O dono de um bar nocturno e de um stand de automóveis em Santarém foi detido pela PSP por suspeita de ser o cabecilha de uma rede que se dedicava ao tráfico de droga nas zonas de Santarém e Lisboa.

O homem, de 49 anos, já cumpriu pena por tráfico de droga, tendo saído da cadeia em 1999. Durante os seis meses que durou a investigação policial terá adquirido um veículo de alta cilindrada a pronto pagamento e em dinheiro.

A operação levou ainda à detenção de mais cinco homens e uma mulher, no âmbito do cumprimento de nove mandados de busca. Durante as buscas foram apreendidos mais de 16 quilos de haxixe, com valor aproximado de 40 mil euros, 500 gramas de cocaína (com valor a rondar os 14 mil euros), quatro viaturas, quatro caçadeiras e uma pistola.

Foram ainda apreendidos 19.680 euros, quatro balanças de precisão, diversa documentação e vários objectos utilizados na preparação e corte de droga. A operação policial decorreu entre as 21h55 de quarta-feira, 2 de Maio, e as 03h45 de quinta-feira, 3 de Maio.

Numa conferência de imprensa realizada em Lisboa, o subintendente Resende da Silva, da Divisão de Investigação Criminal da PSP, disse aos jornalistas que esta rede operava essencialmente em Santarém e em parte de Lisboa, onde vendia haxixe e cocaína a intermediários e não ao consumidor final.

Diga o que pensa sobre este Artigo. O seu comentário será enviado directamente para a redacção de O MIRANTE.

Notícias Relacionadas
Não existem notícias relacionadas
Comentários
 
Nome
 
Email
 
Autorizo a eventual publicação na edição em papel do Mirante.

 

Tem uma história para contar? Conhece alguém que seja alvo de qualquer tipo de discriminação? Contacte-nos.
Para anunciar contacte: dcomercial@omirante.pt

2008 © Jornal O MIRANTE, todos os direitos reservados | Termos de Utilização | Política de Privacidade | FAQ’S | Contactos | RSSRSS

Voltar ao topo